Aceitação

Estou bastante cansada, a semana está bastante produtiva, mas a vontade de escrever está maior que meu cansaço. Tomando meu banho, uma pergunta me martelava a cabeça. Por que sempre buscamos uma forma de culpar algo exterior ao nosso ser por nossos problemas.

Nem sempre as coisas são um mar de rosas, tem momentos que fico enfraquecida, e parece que as sombras ficam à minha espreita. Me sinto como um animal machucado, sendo vigiado por abutres.

Hoje já consigo perceber que isso acontece porque entro em contato com esse tipo de energia de alguma forma. Mas mesmo sabendo disso, fico procurando motivos para essas recaídas.
Será que alguém jogou uma praga, será que estou sendo punida por algo que tenha feito para alguém, será que esse pensamento ruim foi colocado por alguma energia do mal?

Nada disso, fomos nós mesmos que nos colocamos nessa situação. Se estou com algum pensamento ruim que me atormenta, foi porque de algum jeito eu dei permissão para que ele entrasse. Durante uma sessão, meu "guia espiritual" me explicou que a porta que abro para que essas coisas me acessem, é a porta do medo. Sempre que minha fé e confiança estão em um nível mais baixo, o medo toma força e permite que outros sentimentos ruins entrem.

Então, o primeiro passo para melhorar é aceitar que nada de ruim que me acontecesse vem de uma fonte externa. Eu paro e penso: "Sou eu quem escolhi estar sim!". Claro que muito provavelmente não foi conscientemente que cheguei nesse estado, mas sei que conscientemente eu posso sair dele.

Deepak em, As sete leis espirituais do sucesso, cita na lei do mínimo esforço, que devemos:
  • Aceitar as pessoas, circunstâncias e acontecimentos do jeito que são neste momento. Diante de um desafio, lembre-se: "Este momento é como deveria ser" porque o universo inteiro é como deveria ser.
  • Assumir a responsabilidade por sua situação, sem jogar a culpa em ninguém, nem em si mesmo ou em qualquer coisa. Cada problema é uma oportunidade de tomar posse do momento e transformá-lo em um benefício maior.
Então nesse momento escolho escrever sobre isso, pois sei que assim posso reforçar meu aprendizado e fortalecer minha fé e confiança. Não vou reclamar, nem ficar triste por conta de um pensamento que voltou a me incomodar, pelo contrário, fico feliz que isso tenha acontecido e me empurrado para frente. Agora me pergunto, se não fossem esses pensamentos, eu estaria no caminho do amor? Ou estaria inerte, só esperando a vida passar, sem evoluir?

Um comentário:

  1. Esses altos e baixos são normais, estou feliz que já tem forças para superar as recaídas. Bjos e Luz

    ResponderExcluir