Não julgue

Voltei de minha sessão hoje com uma tarefa para casa. Preciso aprender a fazer menos julgamentos. Parei agora para refletir sobre isso, sobre o que significa a palavra julgar. Busquei no dicionário e encontrei uma definição:

"Avaliar, emitir opinião, formular um juízo"

Você ja pensou quantas vezes por dia avalia uma situação, dá uma opinião ou até mesmo condena alguém por seus atos e palavras? Acredito que eu faço isso inúmeras vezes, não consigo nem quantificar. Está no nosso âmago julgar a tudo e a todos, inclusive a nós mesmos a todo momento.

Será que o ato de julgar é tão ruim quanto parece? Meu guia espiritual alega que sim, ele disse que toda vez que julgo crio uma parede à minha frente que interrompe o fluxo de amor que flui entre mim e o universo.

Posso atestar que essa semana aconteceu isso comigo. Realizei julgamentos pesados em minha mente contra pessoas e contra meu próprio ser. No mesmo momento que isso aconteceu, fiquei desanimada e a minha inspiração sumiu. Criei barreiras na minha própria evolução. Só atrapalhei o processo e baixei meu nível de energia.

Apesar de ter entendido as consequências, ainda não estava convencida da causa. Precisava entender o porquê. E pesquisando mais uma vez, encontrei uma interessante mensagem de Chico Xavier:

"A sabedoria superior tolera, a inferior julga; a superior perdoa, a inferior condena. Tem coisas que o coração só fala para quem sabe escutar!"

A resposta é muito simples, quando você julga entre em contato com "sabedorias" inferiores e se afasta da luz. Quem somos nós para fazer juízo de alguma coisa? Somos todos humanos, estamos em um processo de evolução, cada um no seu tempo, no seu degrau da escada. O ser humano não é perfeito e nunca vai ser, precisamos aceitar essa condição e ser mais tolerantes, saber perdoar.

Convencida então de que julgar não é interessante, vou trabalhar em minha tarefa e evitar fazer novos julgamentos, e caso julgue, perdoar a mim mesma, porque afinal sou humana e estou buscando evoluir. Então, não julgue! Ou caso não seja possível, julgue menos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário